Mostrar 8 resultados

Descrição arquivística
Tavira
Previsualizar a impressão Hierarchy Ver:

Provedoria da Comarca de Tavira

  • PT /MTVR PCTVR
  • F
  • 1771-1835

Este conjunto documental resulta da actividade da Provedoria da Comarca de Tavira e é constituído por 4 livros e uma caixa, reunindo a documentação produzida entre 1771 e 1835, relativa às tinham competências administrativas, judiciais e fiscais.

Provedoria da Comarca de Tavira

Centro Republicano de Tavira

  • PT /MTVR CRT
  • F
  • 1910-1987

Este fundo documental é constituído por documentação relativa a registos de actas, de património e de sócios do Centro Republicano de Tavira.

Centro Republicano de Tavira

Junta Escolar do Concelho de Tavira

  • PT /MTVR JECT
  • F
  • 1881-1929

Em 1870, é extinta a Direção-Geral da Instrução Pública que integrava o Ministério do Reino e criou-se, para tratar dos assuntos da educação, o Ministério da Instrução Pública. D. António da Costa (de Macedo), primeiro-ministro da Instrução Pública, durante os seus escassos 69 dias de governo elabora a reforma da instrução primária pelo Decreto de 16 de agosto de 1870. A preocupação principal era a descentralização do ensino primário e a entrega às câmaras das escolas primárias. Cada câmara nomeava uma junta escolar composta por três vogais, escolhidos entre os vereadores ou outros cidadãos que coadjuvavam as câmaras no exercício das suas funções, que incluíam a nomeação de professores.
As juntas escolares viriam, mais tarde, pelo Decreto nº5787-A, de maio de 1919, a adquirir maior relevância administrativa e legal. A administração das escolas primárias e a assistência dos alunos competia, dentro de cada concelho, a uma junta escolar. Era constituída pelos vereadores da Fazenda e da Instrução da câmara municipal, por um representante das juntas de freguesia do concelho, por três professores do ensino primário eleitos pelos professores do concelho, pelo inspetor do círculo ou seu delegado e pelo secretário de finanças do concelho. As atribuições das juntas escolares eram vastas: elaboração do orçamento anual do ensino primário do concelho; construção de edifícios; aquisição de material didático; pagamento de vencimentos de professores; assistência aos alunos necessitados e criação de cursos noturnos e dominicais.
As juntas escolares seriam extintas pelo Decreto nº 10776 de 19 de maio de 1926, no entanto, da Junta Escolar do Concelho de Tavira existem continuou com a sua produção documental até 1929. Apesar das suas funções, chegaram até aos dias de hoje somente os livros de termos de posse e de registo de correspondência expedida e recebida, que constituem este fundo documental.

Junta Escolar do Concelho de Tavira

Comissão Concelhia dos Desalojados de Tavira

  • PT /MTVR CCDT
  • F
  • 1975-1977

Da actividade da Comissão Concelhia dos Desalojados de Tavira resultaram os dois únicos livros que constituem este fundo: o livro de actas e o livro de registo de correspondência expedida.

Comissão Concelhia dos Desalojados de Tavira

Arraial Ferreira Neto

  • PT /MTVR AFN
  • F
  • 1852-1994

Documentação produzida e reunida por Arraial Ferreira Neto durante a sua actividade piscatória e comercial de 1852 a 1994.

Arraial Ferreira Neto

Autos de Testamentos

Esta série é constituída por dois maços de autos de testamentos levantados pela provedoria de tavira em 1835, num total de 28 processos. Para facilitar o seu acondicionamento sem prejudicar os originais, os processos foram divididos em dois maços, por ordem cronológica.

Autos de Testamentos

Este maço inclui 14 processos de Autos de Testamentos dos meses de Janeiro, Fevereiro, Abril, Maio e Junho de 1835. Contém 14 processos de Autos de Testamentos, com que faleceu António Fernandes Inglês (do sítio de Amaro Gonçalves, da Freguesia da Luz); Bernarda Joaquina da Maia (da cidade de Tavira); Maria de São José, viúva de Pedro de Jesus (da cidade de Tavira); Custódio Martins (do sítio da Igreja, Freguesia de Santo Estêvão); José Palermo de Faria (da Fonte Salgada); D. Ângela Joaquina de Arnedo (da Freguesia da Conceição); Bárbara Maria, viúva de Manuel Madeira (do sítio de Estiramantens, da Freguesia de Santo Estêvão); D. Isabel de Sousa Palermo, viúva do Capitão Pedro Pacheco Pires (do sítio do Poço das Figueiras, da Freguesia de Moncarapacho); António dos Santos (do sítio de Estiramentens, da Freguesia de Moncarapacho); Teresa de Mendonça, mulher de José de Mendonça (do sítio de Montiagudo, da Freguesia de Santo Estêvão); Maria Gertrudes, mulher de Pedro Lopes Ferro (da cidade de Tavira); Maria Gonçalves, mulher de Domingos Fernandes (do sítio da Malhada de Santa Maria, da Freguesia de Santa Catarina); Manuel Gonçalves (do sítio de Bemparece, da Freguesia da Conceição) e João Correia Lavrador (do sítio da Amarela, da Freguesia de Santa Catarina).

Autos de Testamentos

Este maço contém 14 processos de Autos de Testamentos, com que faleceu: António Viegas Cavaco (do sítio do Poço do Vale, da Freguesia de Santo Estêvão); Joana Maria, mulher de António José Fialho (do sítio da Campina, da Freguesia de Luz); Maria da Conceição, viúva de Lourenço Martins (do sítio dos Murtais, da Freguesia de Moncarapacho); Manuel Vicente (do sítio da Espartosa, da Freguesia de Santa Catarina); António Francisco (do sítio das Areias, da Freguesia de Moncarapacho); José Martins (da Fuzeta); Manuel Gonçalves (da Freguesia de Moncarapacho); Márcia Joaquina da Graça, viúva de Manuel de Mendonça (do sítio das Pereirinhas, da Freguesia de Moncarapacho); Manuel Viegas Barranco (do sítio do Gião, da Freguesia de Moncarapacho); Custódio Correia (do sítio do Malhão, da Freguesia de Santo Estêvão); Isabel Maria (do Monte das Silvanas, da Freguesia de Cachopo); Manuel José (do sítio do Bengado, da Freguesia de Santa Catarina); Domingos Rodrigues (do sítio da Ribeirinha, da Freguesia da Conceição) e Joaquim Lopes (do sítio do Gião, da Freguesia de Moncarapacho).